Feeds:
Posts
Comentários

Filho ou Filha, quanta saudade da possibilidade de vida pulsa em meu coração, dos sonhos e caminhos traçados para juntos aprendermos mais da vida, do carinho de sua irmã Bruna ao compartilhar tudo com a barriga da mamãe te chamando de irmã (enquanto a mamãe achava que era menino, mas isso ela confessou somente para mim), que sensação boa foi ouvir seu coraçãozinho de menos de 3 milímetros batendo com uma força e uma vontade tão grande de viver que nos impulsionava mais e mais ainda para frente.

Mas um pequeno e intenso vazio infelizmente nos tocou essa semana, um silêncio chocou nossa família, a dor de saber que não nos conhecermos nesse momento, como isso doeu.A Bruna perguntava, “Cadê minha irmã”, Chamando a mamãe, querendo abraçar a mãe, querendo entender tudo mesmo eu não tendo explicado nada à essa princesa que nos ama tanto, mas ela sabia, ela soube, que a partir daquele momento a irmã que estava por vim não viria mais, seu caminho curto, mas intenso, marcou demais nossa vida.

Filho ou Filha, a cada dia que passa, mamãe, irmã e papai se tornam mais fortes, mas não há força no mundo capaz de nos afastar do seu amor, uma chama que nos fez abrir os olhos para a vida, fez com que a gente começasse a pensar mais em nossa saúde, em todos os sonhos (pois descobrimos que sonhos não morrem), na vontade de ir em frente, com força e vontade, honrar o futuro que desejamos para nossa família. para sua família física.

Ah, não sei se você ia gostar, mas se dependesse do papai seu nome poderia ser Sebastião, to para ver nome mais feliz, todos os “Tião” que conheço são avôs, felizes, com família grande, mesa farta, história e amor demais para compartilhar, claro que adoraria cantar “O mundo é bão sebastião” para você, mas seu nome não seria pela música, mas pelo o que ele representa num universo paralelo aqui dentro….mas essa batalha ia ser forte, pois a galera da família não curtiu esse nome (cá entre nós, não comente com ninguém aí no céu,rs!).

Ao mesmo tempo que dói, há um certo alívio, alívio em saber que sua mamãe está muito saudável, não precisará de cirurgia alguma para a vida voltar ao normal. A natureza é tão sábia e nós seres humanos tão estúpidos…saiba que nós que aqui fisicamente vivos estamos, sua família, estamos trabalhando firme para não sermos só mais outra família normal, aquela que não vê o mundo de verdade, e faremos o máximo para que sua irmã possa conhecer um pouco desse Brasil, desse mundo, desses oceanos, culturas, amores, e tudo o mais que tiver gana de alcançar.

Não há o que ser dito, sentido. Nesse momento só o amor cura, e como cura. A falta de atenção dos médicos, a estupidez dos mesmos frente à uma morte (algo jamais desejado, mesmo que sabido).

Se pudesse pedir algo para a humanidade pediria simples e direto : “Amor, mais amor”. Eu já pedi isso para mim, e minha vida já melhorou muito quando voltei a colocar mais amor desde o começo dessa semana.

E que os sonhos continuem a ser maiores que as realizações, que esse combustível infinito nos permita alcançar a felicidade, sobrepondo toda raiva com ações positivas, toda superação de dor em lição aprendida e toda felicidade em um orgasmo fabuloso (aqueles de pouco mais de 1 segundo já é o suficiente).

Estava relembrando, relendo e revivendo um texto de quando minha primeira filha, Bruna, estava na barriga da mamãe (Leia aqui integral), nossa, me espanto com o que sai de meu cérebro de vez em quando…um pouco triste mas muito feliz, muito feliz em saber que a vida continua, firme e Forte!

Obrigado a todos pela força, e àqueles que não sabiam, não se preocupem, nosso amor juntos pode pode nos levar aonde quisermos!

Se cada um…

No mínimo uma vez por dia eu me deparo com alguma situação na qual eu paro, reflito e digo: “Se cada um cumprisse ao menos o seu papel de cidadão no mundo”.

Lembro-me uma certa vez, quando estava voltando para casa, ali na região do metrô Saúde em São Paulo, e vi dois jovens pichando um muro, “que absurdo!(pensei)”; logo em seguida liguei para a polícia militar a partir de um orelhão da próxima rua, eles me atenderam e perguntaram o local exato no qual os jovens estavam cometendo tal ato ilícito, dei todas as referências para que até uma pessoa sem conexão 3G conseguisse chegar caminhando, mas os jovens policiais não poderiam ir ao local vistoriar pois eles precisavam de uma referência ( logo pensei, conceito de referência pode ser relativo para alguns, mas não necessariamente para mim). Em resumo, desliguei o telefone após tentar solucionar o problema por alguns minutos…a polícia não pôde colaborar.

Já hoje, se não fosse uma outra pessoa desconhecida ligar no serviço de emergência para informar um acidente na Marginal do Rio Pinheiros ( na altura do Joquei Clube exatamente) no mesmo momento em que liguei, não sei se teriam a capacidade de atender o chamado visto que ao passar a referência do acidente, citando que ocorreu na parede do Joquei Clube, a atendente disse: “Nos desculpe senhor, a marginal pinheiros é muito grande!”, e pensei, é grande, mas o joquei clube não possui a mesma extensão! Enfim, mais um momento intitulado: “Se cada um…”

Muitas vezes me deparo com momentos nos quais se cada pessoa simplesmente cumprisse sua função social, respeitando os demais, o mundo seria tão melhor, não teríamos tanto que nos preocupar mas sim pesquisar e sempre nos reinventar e redescobrir soluções de problemas que ainda não existem, caminhar para o novo mas com a tranquilidade de saber que grande parte do caminho a ser percorrido pode não ser tão obscuro assim.

Concluindo o momento “garoto enxaqueca” em que me coloquei hoje, acredito que se a gente começar a educar os nossos filhos a cumprir o seu papel social talvez daqui a 15 ou 20 anos não estaremos mais discutindo a necessidade das cotas em funcionalismo publico, coroação de políticos corruptos, replanejamento de projetos mau(não) planejados, entre tantas outras situações do cotidiano que se as listasse aqui, com toda a certeza, esqueceria de citar um monte delas. Cabe destacar que em CNTP(condições normais de temperatura e pressão), se cada um cumprisse o seu papel, o nosso judiciário não seria tão sobrecarregado assim, os jovens seriam mais críticos, o Brasil seria um pais mais sério, e o verdadeiro palhaço não seria o povo que sofre como um boneco na mão de nossos governantes, mas sim os governantes que nos tratam como marionetes.

Fundemos a AA(Anti-fraudulentos anônimos), nos encontremos à luz do dia sem ter medo de falar a verdade e nos apedrejarem a alma em prol do bem particular e privado.

Que sejamos as peças-chave desse quebra-cabeças por ser construído chamado Brasil!

Os degraus da vida…

São Paulo.

Filha, como será que você nos imagina?
É engraçado, muitas vezes já me peguei pensando o contrário, como será que você será, será que terá meu nariz, minha teimosia, os olhos ou o coração da mamãe? Mas o que será que você pensa de nós? Será que um dia conseguirei não te chamar de bebê ou falar grosso(normal) com você e não afinar minha voz como já venho fazendo?
Espero que um dia, se você tiver medo de bicho-papão, da sombra ou até mesmo da escada da casa da bisa, eu e a mamãe consigamos segurar tua mão e bagunçar o monte de roupa que parecia ser alguém, adentrar nas sombras acendendo as luzes da alma e e subir toda e qualquer escada que possa nos assustar.

Sabia que eu tenho medo? Sim, eu não sabia até agora, não tenho medo de te ter, longe de mim! não tenho medo de ser pai, mas tenho medo de não ser um bom pai, tenho tanto medo minha filha. Tenho medo de te desapontar fazendo algo que sempre disse para outros pais não fazerem, tenho medo de não conseguir te mostrar as cores da vida, o gosto das coisas, a inexistência do tempo e até a existência do tempo como num passe de mágica ou de poesia. Não desejo projetar sonhos meus em ti, mas peço que segure as nossas “mãozonas” tão grandes para que você nos ajude a subir essa escada ainda com sombras e pilhas de roupas em formato de bicho-papão.

Uma vez ouvi que todo ato de coragem sem medo não é coragem, é frustração. Tenho medo, mas meu peito anseia para te ter aqui conosco, sorrindo, dançando e cantando as canções da américa, dos quadrinhos e da vida!

Parece que o medo passou, que bom!

Até daqui a pouco, meu amor!

beijos do Papai e da Mamãe!
Ps.: Texto feito para nossa pequenina Pedra Preciosa que está por vir…

Olá, pessoal! hoje tomei a liberdade de publicar um protesto digno da atenção do povo. Este protesto foi escrito por minha mãe, Sandra Beatriz Scatena, que busca loucamente a realização de um dos sonhos de minha avó Ermínia Gonçalves Scatena, o sonho de ser respeitada por seus governantes…

BRASIL UM PAÍS ONDE A JUSTIÇA NÃO
É JUSTA…

Fico indignada em constatar que o desrespeito a regras e normas que regem este País  são constantes e aceitas por todos, inclusive
aquelas que dizem respeito aos nossos idosos. Um bom exemplo, bem generalizado é o desrespeito a vagas exclusivas de deficientes e idosos tanto no transporte como nos estacionamentos do comercio em geral, vemos o desrespeito e nada
fazemos. Há quem diga: a culpa é de um povo sem educação! Mas, o que me deixa pasma é que o buraco é mais embaixo. O desrespeito às leis, que custam tanto a este POVO SEM EDUCAÇÃO, começa do nosso próprio magistrado. Aqueles homens, cultos a quem nós,  POVO DESEDUCADO pagamos altos salários para se fazer cumprir a Lei . Estou revoltada com o descaso dos
nossos juízes em respeito às Leis que, não apenas regem este País, mas, que garantem os seus régios salários. Digo isso e posso provar: Para garantir a prioridade legal dos Brasileiros da 3ª. Idade e daqueles que portam graves
doenças existem várias leis, entre elas : Lei 8.842/94(prioridade de tramitação dos processos e procedimentos na execução de atos para maiores de 60 anos); Lei 10.173/01 (prioridade ao andamento de processos judiciais aos maiores de 65
anos) e Lei 12.008/09(prioridade de tramitação dos processos administrativos  a maiores de 60 anos e
portadores de doenças graves.

Ai vem a minha indignação, o nosso magistério, que deveriam fazer estas Leis serem cumpridas são os primeiros a esquecê-las.

A minha mãe, ERMINIA GONÇALVES SCATENA, aposentada pela Prefeitura Municipal de São Paulo ganhou,  junto a um grupo de funcionários públicos  ação contra a municipalidade (processo 0410975-33.1995.8.26.0053), com previsão de  pagamento por precatório alimentício  em 2001 (Ordem Cronológica 274/2001), bem pode-se imaginar que uma pessoa com 65 anos como a que ela tinha na época que ganhou a  causa, teve expectativa para o  novo século…afinal, em 2001 ela, com 71 anos poderia finalmente usufruir do que lhe era de direito há mais de 7 anos.  A justificativa para não receber o seu dinheiro é que os então Prefeitos do
Município  não efetuarem depósitos. Ocorre que, o Prefeito Gilberto kassab vem realizando estes
depósitos com Constancia, fato que gerou as listas de pagamento pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Especificamente, o de minha mãe consta em Lista de Pagamento de 31.03.2001,  relação publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo (EP5286/00- pag 28) constando até o valor a ser pago: R$ 38.955,76. Hoje a minha mãe esta com 80 anos, e sofre de
mal de Alzheimer,  dá para imaginar a expectativa que ela vive aguardando este dinheiro???? Desde 30/03 aguarda este
pagamento, que esta depositado  dependendo apenas de uma ação do magistrado: despachar  a autorização para emissão de
guia de depósito pelos advogados.  O meu maior desejo no momento é que ela possa, por enquanto ainda tem alguma
lembrança, se sentir digna e respeitada recebendo o que lhe é de direito. Por isso que eu escrevo e peço encarecidamente, me ajudem, divulguem esta questão.

 Aquela lista tem mais de 100 páginas, com pelo menos 30 pessoas em cada página que tem sonhos e desejos a se realizar!
Mensalmente  listas como esta  estão sendo publicadas e esperanças alimentadas.  Já tentei de várias formas
realizar este direito de minha mãe, hoje, coloco a esperança na nossa imprensa. Por ser de direito e respeito aqueles que prepararam o mundo para nós.

Obrigado

20110530-203340.jpg

Olá, pessoal! Espero que estejam com saudades! Neste meio tempo trabalhamos em Quijingue com o pessoal de Lagoa da Barra, voltamos para Sampa tivemos uma certa infelicidade na família, outras mil alegrias entre muito mais! Em breve voltarei a publicar o que andamos fazendo por este mundo maravilhoso!

Obrigado pela espera!

Aquele Axe, meus reis!

…como se constrói uma família de verdade?

A pouco vimos um filme indicado por Michael o mais novo chileno-brasileiro, bem como por Dona Sandra, minha boa e velha Mamá ( como se diria em Mozambique), e guardei uma frase em minha mente, uma que dizia mais ou menos assim: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

Essa é uma frase itneressante que nos faz abrir os olhos e repensar e retraçar nossos caminhos, muitas vezes vivemos da mais pura e bela aparência, isso é legal, maneiro, mas, e aí? na hora em que você tiver um aperto, quem terá a iniciativa, quem dará os passos que você imagina que daria? As vezes, agora na voz de um missionário aqui da comunidade em que vivemos, podemos não ter dinheiro para ajudar o próximo, e porque não doar o nosso tempo? ora pois, nosso ouvido, nosso ombro, nossas palavras? isso é bem engraçado pois muitas vezes vivemos em nossa “vidinha” cotidiana, continuando a brincadeira de papai e mamãe, e esquecendo que um passo falso, uma atenção não dada pode ser fatal muitas vezes.

Então o que quero com isso? Sim, peço um recomeço, gostaria muito de ver mais atenção entre os homens, mais carinho, mais seriedade e sacanagem ao mesmo tempo, mais cor, mais erros; em resumo, mais vida, mais sangue nas veias, mais apertos de mão, abraços sinceros e apertados (como aqueles que só o Maurao suado pode dar, hahaha). Enfim, um recomeço pela parte de todos mas não com o objetivo único de alcançar ou retraçar um fim, mas com o objetivo de gozar cada dia vivido, de viver cada dia em seu dia e com muito amor!

Seize the day, Carpe diem! 

Ps.: As coisas por aqui estão melhores, nos animamos sabendo que nossa Vó vai começar o tratamento aí em sampa, Força aì Pokemón, em breve vai deixar de ser amarela Vó, fica tranquila!

Estava eu hoje, pegando um pouco de água na cisterna do vizinho, Prof. Renato, aqui ao lado, e ao observar o balde afundar-se e sobreviver somente graças aos meus puxões la de cima, não permitir-se afundar por afundar e ponto, sobreviver, mesmo que com as variáveis ferrugem e com o tempo, que no caso do ferro seria simplesmente oxigênio; me peguei pensando no que eu e a Cris estávamos pensando sobre as novas buscas por petróleo no litoral brasileiro: Peço sua licença aqui para entrar na minha mente, mas antes disso, saiba que isso será uma viagem sem volta, seria como experimentar ser um Avatar, ou ter a chance de escolher uma pílula ao saber da existência de uma Matrix ou simplesmente parar de escrever isso aqui agora (no meu caso) ou parar de ler (no seu caso) e dançar um pouco em plena cozinha ao som de um bom Alceu Valença.

Voltando, ao pegar água observei a quantidade de plástico que utilizei para simplesmente armazenar minha água, e pensei, poxa vida, eles agora estão lá, procurando mais ouro preto para que se fabriquem mais plásticos e assim todas as pessoas possuam seu próprio plástico para em questão de segundos, centésimos ou milésimos jogarem isso na rua, no lixo, no tapete de borracha do chão do carro e nem ao menos sentir a dor da terra sendro estuprada por metros e metros de canos que usurpam e corroem-na por dentro, como uma gastrite ou um fogo em plena água. Por que não se gastou, ou se gasta, na melhoria de vida dos seres humanos, tal egoísmo desvairado corroendo a tudo e a todos; quando pararemos para simplesmente ouvir o Sol nascer? Sabiam que o sol ao nascer, não que ele chore do parto, mas ele nos revela tantos segredos guardados sob sua sombra incandescente…

Ora bolas, por que vim aqui falar de minha mente e no meio do texto, ponto este onde os gramáticos exigiriam uma tal argumentação, um certo desenvolvimento da problemática ou questão apresentada, me pego a transpirar meus pensamentos? Pois este ou isto sou Eu, meu corpo e mente as vezes tão rápidos que eu mesmo, sendo isso tudo, corpo e mente e espírito (chamo aqui espírito de energia fundamental) sintam-se como as tais borboletas no escafandro fraseadas outrora.

Tenho reparado muito ultimamente na queda da água, já reparastes alguma vez? Por exemplo, pegue uma jarra de água e um copo, e elevando a jarra por cerca de aproximadamente 30 centimetros, derrame a água para dentro do copo, você consegue controlar o fluxo de água de tal forma que a água que cai não caia mais, e o tempo deixa de existir assim, simples assim, e os olhos não pisquem mais, o corpo não treme, não sua, mas ao mesmo tempo não pára, como em uma corrida na qual você consegue manter um ritmo, como nos passos da vida assentados com firmeza e vontade.

Talvez eu esteja percebendo o que é esta tal de vida e, PUXA, como ela é boa, como é bom sentir a vida correr em meu corpo, em meus dedos em mim mesmo e refletir no outro como um espelho, um espelho de paz e de vontade, um espelho do agir, do fazer, do ser Ser Hunano.

Ps.1: Voltei a estudar matemática, meu ponto fraco na Universidade; mas se quero ser professor um dia, tenho que, um pouquinho por dia, desvendar estes misterios que ainda habitam meu Eu.

Ps.2: A Cris já está muito melhor, mais ainda queixa de dores no pescoço, ao menos ela deixou de ser o Robocop, agora ela é uma Girafa, e das bem bonitas! =o)!

Ps.3: Sim, este maluco sou eu mesmo!
Dicas: Assista Avatar, pratique um ato de coragem e assista “O Curioso Caso de Benjamin Button” após tal ação, conheçam um pouquinho de Nuno Cobra (Obrigado Marcinha), aprenda sobre o passado mas viva intensamente o presente, ouça músicas que te façam sorrir e dê uma carona para aqueles que estiverem num ponto de ônibus esperando transporte público (ao menos uma vez na vida)!